NOTÍCIA
Em jogos de três pênaltis, CRB vence o Coruripe na abertura do Hexagonal

Em jogos de três pênaltis, CRB vence o Coruripe na abertura do Hexagonal

Coruripe e CRB seguem fazendo jogos equilibrados e decididos nos detalhes. Na tarde deste sábado (19) as duas equipes abriram o Hexagonal do Campeonato Alagoano e num jogo decididos com pênaltis, o “Galo” venceu o “Hulk” por 2 a 1 no Estádio Rei Pelé.

O CRB larga na frente da fase final do Alagoano com três pontos e na próxima rodada vai enfrentar o ASA em Arapiraca. O Coruripe começa mal e logo na segunda rodada irá receber o CSA no Gerson Amaral.
 
Com a bola rolando no Rei Pelé, CRB e Coruripe mostravam respeito, se estudavam nos primeiros minutos e pouco criavam. O sol forte também fazia com que as equipes segurassem o ritmo da partida.

A primeira chance de perigo veio com quase 20 minutos, quando Luidy fez boa jogada e passou para Somália. O volante dominou e bateu de bico, mandando na trave do goleiro Gott da equipe visitante.

Antes da metade do primeiro tempo, o CRB sofreu uma baixa com a contusão do lateral-direito Marcelinho. O técnico Mazola Junior que vem sofrendo com substituições precoces, teve de colocar Rafinha em campo.

O jogo ganhava a cara do CRB. O time regatiano rondava a área rival e assustava. Lúcio Maranhão mandou muito perto da baliza rival, enquanto Rafinha exigiu grande defesa do goleiro do “Hulk”.

Reta final da etapa e o Coruripe saía mais para o campo adversário. Em uma das tentativas, o Coruripe contou com a falha do volante Olívio e Aurélio acionou João Paulo, que quando direcionava para o gol, foi derrubado por Diego Jussani e o árbitro marcou pênalti.
Apesar da reclamação dos atletas do CRB, o meia-atacante João Paulo bateu e deslocou o goleiro Juliano e abriu o marcador aos 44 minutos. Aos 26, o primeiro tempo foi encerrado, com vaias da torcida para o time regatiano.
 
O segundo tempo havia acabado de começar e o CRB deu provas de que poderia reagir na partida. Luidy recebeu na área e bateu, e o meio-campo Micheel colocou a mão na bola. Outro pênalti na partida. Aos 2 minutos, Lúcio Maranhão bateu forte e empatou o jogo.

Com o gol sofrido, o Coruripe adotou a postura de se defender e esperar a oportunidade de atacar nos contra-golpes. Mas, era o CRB que continuava atacando. Lúcio Maranhão era o mais acionado e recebe na área e mandou forte, nas mãos do goleiro Gott.

As duas equipes tentavam atacar, mas pecavam na hora de finalizar. Temerosas com os contra-golpes, os times faziam um jogo pegado e truncado no meio de campo, com várias faltas marcadas pelo árbitro Denis Ribeiros Serafim.

O jogo entrava nos 15 minutos finais. O CRB trocava passes e tentava atacar o time visitante e assim, conseguiu uma penalidade, quando Jair colocou a mão na bola e assim, conseguiu a chance de virar o jogo.

Aos 36 minutos, Lúcio Maranhão bateu novamente a penalidade e colocou o CRB na frente do marcador. Com a virada, a torcida regatiana enfim comemorava e gritava alto no Rei Pelé, que não estava lotado.

E o centroavante regatiano poderia ser o nome do jogo, mas acabou se complicando. Após se envolver em confusão com o zagueiro Fernando Belém do Coruripe, ambos se agrediram e foram expulsos.

Os treinadores resolveram mudar após as expulsões, o que paralisou o jogo por um bom tempo e diminuiu o ritmo da partida, justamente na sua reta final. O CRB era quem ganhava com isso, já que estava na frente do marcador.

Nos últimos minutos, o Coruripe ensaiou uma pressão, exigiu grande defesa de Juliano, assustou o time regatiano, mas não conseguiu o empate. Final de jogo no Rei Pelé, CRB 2 x 1 Coruripe.

Fonte: Minuto Esportes